?

Log in

Priss
Comentários recentes 
26th-Aug-2007 07:16 pm - Me acostumando à solidão
Há algum tempo atrás, eu vivia me lamentando por ser uma pessoa muito solitária e gostar de coisas pouco comuns, achava que para ser feliz eu teria que levar uma vida mais agitada ao lado de outras pessoas que gostassem das mesmas coisas que eu. Sonhava, todos os dias, em encontrar uma amizade que me completasse, alguém com quem eu pudesse compartilhar grande parte das coisas que faço e gosto. Mas o tempo foi passando e fui percebendo que, para os outros, as coisas que gosto são tediosas demais; o que me deixa deslumbrada é muito pouco e o carinho que eu tenho para dar é demais. Percebi, também, que sou um pouco mesquinha por idealizar tanto uma amizade; que tenho que aceitar as pessoas do jeito que elas são e tentar fazer tudo o que estiver ao meu alcance para agradá-las. Sou egoísta por sonhar tanto e abrir mão do que não "combina" comigo e, ainda mais, por não enxergar que a única culpada por me sentir só sou eu.

Agora estou sempre tentando ser simpática com os outros, procurando as poucas coisas em comum que tenho com eles para compartilhar e, assim, ir sanando um pouquinho dessa solidão. Isso porque grande parte dela tem origem de dentro de mim, de minha própria essência. Ao invés de viver em guerra com esse sentimento, resolvi tentar compreendê-lo também, pois afinal também é parte de mim. E assim descobri que eu prefiro estar só a ter que fazer tanta coisa que não me preenche, em lugares que não me agradam, com pessoas que nada têm a ver comigo. Às vezes estar só me causa sofrimento, mas ainda assim, fazer o contrário não me ajudaria, muito pelo contrário: pior é sentir-se só em meio à uma multidão. De nada adianta ser popular ou estar ao lado de pessoas que não te completam e não possam despertar em seu rosto sorrisos verdadeiros.

Me sinto mais preenchida agora que estou aprendendo a aproveitar mais o tempo comigo mesma. Nem sempre preciso estar acompanhada para abrir um sorriso ou sonhar, muito menos para ler um bom livro, daqueles de fantasia que tanto gosto, ou assistir à um bom filme. Isso tudo sem ter que sentir culpa por não estar agradando ou péssima por não estar sendo uma boa companhia. Ainda não abri mão daquele sonho bobo de um dia encontrar uma pessoa realmente especial e parecida comigo em muitas coisas, mas, enquanto isso, vou vivendo do jeito que posso, em paz com minha solidão e com tantas pessoas diferentes, mas nem por isso menos maravilhosas, que o destino tem colocado em meu caminho. Agora vou reclamar menos e aceitar a minha condição.
12th-Aug-2007 12:53 am - Cinema, muito cinema!
bunnie
Mais uma semana se passou desde que começaram as aulas, e eu estou me sentindo como se ainda estivesse de férias. O motivo para que eu esteja com essa impressão eu não sei ao certo, mas talvez as coisas estejam tomando um rumo muito "mágico" em comparação à rotina que segui durante tanto tempo. Estou produzindo muito em um curto espaço de tempo, mesmo estando nessas férias imaginárias... Digo isso porque fiz muitas coisas legais nesses dias: assisti à bons filmes, li, conheci pessoas, realizei alguns desejos, me diverti e entrei num mundo diferente.

Eu tenho medo de tirar qualquer conclusão precipitada sobre isso tudo, pode ser apenas coincidência os dias estarem assim, tão coloridos. Geralmente eu faço isso, acabo me iludindo em relação às coisas por estar contente por algum motivo. Agora estou tomando cuidado, mas não deixo de lado a esperança de finalmente ter me ajeitado ou até encontrado meu lugar no novo curso. Mesmo não sendo exatamente o que eu queria pra mim, pode me ajudar a chegar onde eu quero ou, no mínimo, me fazer mais feliz.

Cinema é algo que me faz sonhar, me torna criativa e me ajuda a compreender mais a vida. Eu não quero me tornar uma diretora ou grande cineasta, mas é gostoso aprender sobre esse universo e, mais ainda, estar sempre assistindo à filmes. Outra coisa que gosto muito de fazer, dentro dessa área, é escrever, imaginar lugares, situações e criar personagens. Ainda estou bem "travada" nessa questão, mas estou me esforçando pra conseguir desenvolver isso. Vou até participar de uma matéria opcional, fora do horário estabelecido, que é uma oficina de textos. Isso é algo que pode me ajudar a realizar meu sonho, embora ele não tenha uma relação direta com cinema. ^^

Ah, e por falar nisso, não posso deixar de comentar sobre outro filme que acabo de assistir: Miss Potter. O filme fala justamente sobre uma mulher que escolheu um caminho diferente do comum para a vida dela. Na época em que viveu, Beatrix Potter, foi contra o o papel imposto pela mulher dentro da sociedade. Ao invés de se casar com um bom partido, algum homem da alta sociedade e viver cuidando da casa, como quase todas as mulheres da época, ela deixou se guiar por um sonho: publicar livros infantis. Os personagens da senhorita Potter eram todos animais, que sempre foram uma paixão para ela, em especial coelhinhos. Ela ficou solteira até os trinta e poucos anos, mas conseguiu realizar seu sonho e viveu um romance muito lindo. E o filme é baseado numa história real, embora com certeza romantizada. A escritora realmente existiu e chegou muito mais longe do que podia imaginar, acabou ficando riquíssima e seus livros foram os infantis mais vendidos.


O filme é lindo. Eu sou suspeita pra opinar, pois sou parecida com ela em relação à duas coisas: amo animais (inclusive coelhinhos) e tenho o mesmo sonho de publicar livros infantis; mas acho difícil que outras pessoas não se encantem nenhum pouquinho com a história da Beatrix Potter. Depois de assistir o filme, não pude resistir, comprei pra mim o primeiro livrinho, uma pelúcia do Peter Rabbit  e um pacote de adesivos com ilustrações dela! Quero guardar um pouco desse mundo da Miss Potter aqui comigo. Impossível não abrir um pequeno sorriso no rosto ao olhar para as criações tão fofas dela. ^^


7th-Aug-2007 04:08 pm - Sem tempo para escrever!
sakura
Depois que as aulas começaram, tudo tem sido muito corrido pra mim. Nesses últimos dias, fiz um monte de coisas que fiquei com vontade de deixar registradas aqui. Só que eu chegava tão cansada dessas pequenas "aventuras", que nem tinha pique para vir escrever. Como eu já havia contado aqui, o primeiro dia de aula foi bem especial, os que seguiram foram ainda mais. Eu tive a sorte de rever amigas minhas que estudavam comigo na Psicologia e ainda fiz uma nova amizade. Tudo começou no primeiro dia de aula, com uma simples pergunta e... Ah, essa história fica para depois... ^__^ Só adianto que a nova amiga que fiz é muito parecida comigo e ao mesmo tempo diferente.



Uma das coisas mais legais que fiz do primeiro dia de aula pra cá, foi assistir um daqueles filmes de fantasia que adoro. Meu pai, apesar de não se interessar muito pelo gênero, me fez companhia porque achou a fotografia e a produção do filme muito bonita. O nome do filme é Ponte para Terabítia, ele fala sobre coisas mágicas que acontecem durante a nossa infância, de brincadeiras de um tempo que não volta mais. Também fala sobre amizade e coisas difíceis do dia-a-dia que podemos enfrentar com muita imaginação e bom humor, além de abordar coisas importantes como a relação entre pais e filhos.

Ponte para Terabítia foi um dos filmes mais lindos que já vi, a autora escreveu o livro que deu origem ao filme, como um presente para consolar o filho que sofreu uma perda muito grande. Eu acho que todo grande filme, carregado de sentimentos, sempre tem alguma intenção especial por trás. Os personagens são carismáticos e bem desenvolvidos... A minha preferida é a Leslie, que é uma menina muito alegre, humilde e cheia de imaginação. Dela que parte a iniciativa de criar Terabítia, um lugar mágico, cheio de seres fantásticos e perigosos (como em todo conto de fadas). Sem contar que ela é super estilosa em sua maneira original de se vestir e não se importa com a opinião alheia. O filme dá um destaque principal à amizade entre ela e o personagem principal, o Jess.


Essa é a Leslie! ^^

O resto, só assistindo para descobrir, a única coisa que posso fazer até então é recomendar altamente o filme, principalmente para aqueles que gostam de muita fantasia e imaginação. Uma das coisas que mais encantaram foi a abertura maravilhosa do filme, que mostra desenhos feitos pelo Jesse em movimento, dando vida à Terabítia, acompanhando uma música da trilha sonora que ajudou a dar a atmosfera mágica ao filme. Eu, que também adoro desenhar, me esbaldei...
30th-Jul-2007 06:20 pm - Primeiro dia de aula!
Eu não quero escrever demais sobre coisas do meu dia-a-dia, mas certos dias merecem ser lembrados. O de hoje foi bem legal e me trouxe esperança, de finalmente ter encontrado o meu caminho. Eu comecei hoje a cursar faculdade de Cinema e estou determinada a terminar esse curso, porque agora eu tenho na cabeça que realmente preciso dele, mesmo que eu não trabalhe com nada dentro dessa área. Eu nem ao menos sei ao certo o que quero pra minha vida, pois tenho vontade de fazer tantas coisas! Só que, pra mim, é importante estar bem, acima de tudo. Por isso mesmo não exitei em abandonar os outros cursos. Eu sou assim, não consigo fazer nada que não me dê satisfação nenhuma. Não sei se isso é positivo ou negativo, mas é assim que eu lido com as minhas coisas.

A vida é curta e quero sempre estar em lugares que me tragam bem estar e com pessoas que tenham interesses ou afinidades em comum com os meus. Nesse primeiro dia de aula, senti isso, que eu encontrei um lugar onde vou gostar muito de conviver, pra conseguir logo um diploma e tomar um rumo definitivo. E mesmo que meu rumo não tenha nada a ver com Cinema e sim com Fotografia e Ilustração Infantil (que é o mais provável), pelo menos vou estar feliz por ter feito somente o que gosto. Cinema é algo que adoro e tenho muito interesse em aprender mais sobre.

Não sei se estou errando e colocando tudo a perder pra mim no futuro, mas eu realmente não consigo lidar com a vida de outra forma. As pessoas geralmente se preocupam mais com o lado financeiro e estabilidade, mas eu acho que quem pensa assim, pode acabar pior do que quem não pensa. É muito relativo.

Mas voltando ao primeiro dia de aula, foi bem legal, fiquei pra morrer de vergonha durante uma brincadeira dessas de apresentação, mas acho que valeu a pena. Só assim pra vencer um pouquinho essa timidez exagerada que tenho! ^___^ Durante o intervalo, encontrei algumas pessoas queridas lá na faculdade e ainda saí com uma amiga minha. Fomos almoçar e tomar sorvetinho com outros dois amigos. Interessante que me deparei com uma música linda num momento do passeio, o nome dela é Without You - Harry Nilson, ela me emociona porque transmite um sentimento apaixonado e melancólico. Bem familiar esse sentimento pra mim, triste e ao mesmo tempo tão bonito, de uma forma grandiosa. Sempre quis saber o nome dessa música, foi amor à primeira vista, quando cheguei em casa pesquisei e acabei descobrindo. Vou baixar ela pra ouvir sempre que puder!

Meu dia terminou de forma bastante cansativa, quando tive que fazer coisas chatas e rotineiras, mas valeu a pena pelo resto. Se for possível, ainda quero ter mais dias assim. Podem não ser perfeitos ou até comuns demais, mas desde que me tragam algo de bom, sempre desejarei vivê-los.



23rd-Jul-2007 02:08 am - Acidente com o vôo 3054
Nayuki
Lamentavelmente a semana que se passou ficou marcada pelo acidente com o avião da TAM, nesse desastre onde morreram quase 200 pessoas. Achei triste e fiquei muito abalada, a ponto da minha semana ter passado sombria, eu sou sensível e fico imaginando o que os amigos e parentes dessas pessoas não passaram. Mas acho desnecessário o rebuliço que a mídia provoca por causa disso. Sim, foram-se muitas vidas nesse acidente e a crise aérea está realmente ameaçando a segurança das pessoas e causando revolta. Mas e o resto? E o que acontece, todos os dias, nas ruas, no trânsito e nas favelas? As pessoas simplesmente estão acostumadas, se habituam aos acidentes que o ocorrem nesse País, praticamente a cada MINUTO que passa. Já um acidente de avião, é novidade, então a imprenssa cai em cima. As pessoas fecham os olhos, esquecem que esse acidente, comparado ao que acontece por aí, não é nada. Por dia, morre mais ou menos a mesma quantidade de pessoas que morreu nesse acidente.

Infelizmente o problema do nosso país não é só no setor aéreo, isso é apenas uma pequena contribuição, num mar de tanta desigualdade, violência, corrupção e falta de amor ao próximo. Mas as pessoas não querem enxergar, estão muito ocupadas em apontar o dedo para encontrar culpados por um único acidente. Imagina como vão estar essas pessoas que perderam amigos e familiares, depois de meses de "falação" na TV, jornais, rádio e revistas? Acho que mandar energias positivas é o melhor a se fazer. Se o país se mobilizasse a cada acidente que acontece, nós simplesmente não teríamos tempo para viver e pensar em coisas boas.
16th-Jul-2007 07:10 pm - Kanon 2006
ayu
Hoje resolvi falar um pouquinho sobre um dos animes mais lindos que já assisti. Kanon 2006 é um drama com algumas pitadinhas de comédia, que dá destaque ao personagem Yuuichi, que morava numa pequena cidade há 7 anos, mas teve que se mudar. A história começa quando ele está voltando para a cidadezinha, a fim de visitar sua prima, Nayuki, e morar algum tempo por lá, já que seus pais partiram para um longa viagem. Aos poucos, ele vai se lembrando de coisas que aconteceram lá e de pessoas especiais que conheceu quando era pequeno. É muito difícil fazer uma sinopse de Kanon sem deixar escapar algumas coisinhas, pois o desenrolar da história que vai desvendando o motivo por ele ter esquecido da maior parte das coisas que viveu por lá.


Nayuki, a priminha do Yuuichi

Yuuichi faz grandes amizades nessa cidade e retoma algumas, que ainda o esperavam. Entra para a escola da região e volta a fazer parte da rotina desse lugar tão especial e cheio de mistérios. As amizades dele são praticamente todas femininas, personagens, aliás, super lindas e cativantes. Cada uma com seu jeitinho e peculiaridade. Acho difícil que uma menina que assista Kanon não consiga se identificar pelo menos com alguma delas! ^-^ Sem contar suas histórias profundas, todas bem desenvolvidas, que deixarão em lágrimas as pessoas que assistirem. ;_;

A minha personagem preferida é a Ayu Tsukimiya, além de ser dublada pela fofíssima Yui Horie, ela é tímida, pequena, sensível e atrapalhada. Me identifiquei muito com ela justamente por causa dessas qualidades. Encontrei muitas coisas em comum comigo na personalidade dela. Inclusive o jeitinho emburrado, também conhecido como "doce" xD. É, sem dúvidas, a personagem mais "kawaii" do anime, principalmente quando pronuncia um som bastante curioso, o particular "Uguu" *o*. Ela se encontra com o Yuuichi logo no primeiro episódio, quando está tentando fugir de um vendedor de Taiyaki, o docinho preferido dela... Mais que isso prefiro não contar, afinal spoilers estragam a surpresa, nee? ^__^''


Ayu-chan - Uguuu~

Mas então, não deixem de assistir esse anime lindo. A animação é perfeita, as músicas, as personagens, o enredo... Não consigo encontrar nenhum defeito nessa série de 24 episódios, a não ser o final que é um pouquinho corrido. Depois me digam o que acharam!

Beijinhos sabor Taiyaki =*
16th-May-2007 04:56 pm - Quantos mais ainda verei partir?

Uma coisa que me machuca bastante é ver, o tempo todo, pessoas especiais partirem (não do mundo, mas de minha vida). Quando falo sobre isso com alguém, sempre me dizem que é normal, que da mesma forma que pessoas aparecerem em nossas vidas, outras partem. Faz até algum sentido isso, mas pra mim é desconfortante pensar que pessoas que hoje estão ao meu lado, me apoiando, vivendo todos os momentos comigo, podem não estar mais ao meu lado amanhã.

Eu gostaria de ter a esperança de manter pra sempre ao meu lado essas pessoas tão especiais... Ou, que ao menos, tivesse o conforto de que as amizades não vão terminar de uma forma dolorosa, com mágoas e ressentimentos. E isso vale para o amor também. Mas esse ciclo, de viver de tudo com as pessoas que amo, e depois tudo terminar de forma triste, vem se repetindo durante muito tempo. Eu gostaria, ao menos, que as pessoas de quem sinto saudade, sentissem minha falta também. Gostaria que, no mínimo, soubessem o quanto foram e ainda são importantes para mim.

Mas parece que as amizades, o amor... Todo o tipo de sentimento que tenho tentado cultivar, morre facilmente. Como se nada tivesse acontecido. Como se todos os momentos especiais e grandiosos tivessem sido apagados assim, sem mais nem menos, por causa de mágoas. Eu, apesar de guardar ressentimentos (embora não queira), nunca deixei de amar nenhuma dessas pessoas que partiram. Nenhum pouquinho sequer.

This page was loaded Jul 22nd 2017, 12:32 am GMT.